MQ 2016 - ORIGEM

O Mountain Quest materializou-se em 2011, mas foi pensado e planeado durante vários anos com os treinos que o João Marinho fazia individualmente em cada uma das serras - Aboboreira, Marão e Alvão. João confessa-me apaixonado não só pelas serras, mas por toda a região em seu redor. O que inicialmente parecia uma 'loucura' é agora um evento estruturado e atractivo para os atletas e para a cidade.


Atravessar as serras, as 3 serras de uma só vez num único dia - Serra da Aboboreira, Marão e Alvão, antevia um dia longo, mas um desafio épico e que já há muito estava na minha cabeça. 

Existe o mundo e existem estas 3 serras que circundam a minha cidade - Amarante. Continuam a surpreender-me pela sua beleza, pelos seus trilhos e pela sua imponência. Enfrenta-las não bastava, teria que subir aos seus pontos mais altos, aliás, o caminho era sempre pelos pontos mais altos de cada uma delas. 

Primeiro sozinho em 2011 foi assim:
Depois convidou os amigos em 2012 e foi assim:

http://www.bikemountainquest.com/2012/12/mq-2012-resumo.html



Em 2013 o Mountain Quest passou a ser devidamente organizado com cariz competitivo e foi assim:




Em 2014 o Mountain Quest continuou a ser organizado com cariz competitivo e foi assim:

http://www.bikemountainquest.com/2014/07/mq-2014-race-history-2014.html

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.740666169328469.1073741847.279047645490326&type=3




O percurso do Mountain Quest foi desenhado recorrendo ao meu conhecimento das serras envolventes à cidade de Amarante. A ideia foi fazer as piores (mais inclinadas e longas) subidas de cada uma delas, mas que servem também de ligação entre as serras. Provavelmente vão fazer subidas que jamais imaginavam fazer quer em extensão, quer em dureza. Cada trilho que as vossas rodas irão percorrer, tem uma justificação, tem um objectivo, que não apenas a dureza. Apreciem ao máximo o percurso, olhem à vossa volta, sintam o silencio, a calma, a paz que será pedalar nos trilhos do Mountain Quest.
----

"Sente-se um calafrio. A vista alarga-se de ânsia e de assombro. Que penedo falou? Que terror respeitoso se apodera de nós? Mas de nada vale interrogar o grande oceano megalítico, porque o nume invisível ordena:

 - Entre!

A gente entra, e já está no Reino Maravilhoso."
 Miguel Torga